'Acredito no poder transformador da educação', diz universitário ao mobilizar colegas para imprimir apostilas para alunos carentes

Universitários tiveram iniciativa ao saberem que alguns estudantes estavam tendo dificuldades de acesso ao material.

Estado nega dificuldade por parte dos alunos.

Flávio pensava estava tendo dificuldades e pensava até em desistir de estudar Nash Castro / Inter TV Um grupo de cinco universitários está fazendo uma mobilização para arrecadar tinta e papel com o objetivo de imprimir apostilas que são disponibilizadas a alunos carentes de Unaí (MG).

Eles usam uma impressora doada por uma professora.

"Acredito no poder transformador da educação e na diferença que a educação pode fazer na vida de uma pessoa", fala Leonardo Costa, graduando em Ciências Biológicas. As aulas em MG foram retomadas de forma remota em 18 de maio, após dois meses de suspensão por conta da Covid-19.

A Secretaria Estadual de Educação informou que disponibilizaria três meios para acompanhar as aulas pela internet, por TV e por materiais impressos disponibilizados nas escolas e que deveriam ser retirados pelos alunos. Antes da pandemia, Leonardo fazia estágio em uma escola na periferia da cidade.

Ao ser informado por uma professora que alguns estudantes não estavam recebendo as apostilas e por saber que muitos não teriam condições de providenciá-las, decidiu mobilizar os colegas.

Mais de 50 crianças e adolescentes já estão com os materiais em mãos. "Quando eu estudava, meu cadernos também eram doados.

Se naquela época eu não tivesse contado com a ajuda de outras pessoas, talvez nem teria chegado à universidade.

Eu não tenho condições de imprimir as apostilas, mas com a ajuda de colegas e professores, vamos fazendo a nossa parte.

Mudar a vida de uma pessoa, já é uma enorme mudança", explica. Leonardo mobilizou os colegas para fazer as impressões Nash Castro / Inter TV Leonardo morou em um assentamento quando criança, andava a pé de casa até onde o ônibus escolar passava.

É o primeiro entre os 40 primos a entrar para a faculdade e pretende ser professor. "Sei a responsabilidade que é estar em uma sala de aula.

Sendo professor vou poder fazer a minha parte e colaborar com as vidas de outras pessoas", afirma.

“Ia trocar a impressora, como a minha estava em perfeito estado, lembrei do Leonardo.

Ele sempre foi muito dedicado, parceiro e comprometido, por isso, decidi doar minha antiga impressora a ele”, conta a professora Érica da Mota Costa.

Quem quiser ajudar o projeto com a doação de materiais pode ligar para o (38) 99890-1393. Sonho de entrar para faculdade Myllena, que antes estudava com o celular, recebeu uma das apostilas doadas Nash Castro / Inter TV Com raízes no campo e apaixonada por animais, Myllena Carollini Costa Oliveira e Silva sonha em cursar agronomia.

A força de vontade da estudante e a solidariedade dos universitários têm sido fundamentais para ajudá-la a vencer os desafios que vieram com a pandemia. Assim como outros alunos, Myllena está sem as aulas presenciais há cerca de 100 dias.

Por um longo tempo desse período a jovem de 17 anos enfrentou dificuldades para ter acesso ao material de estudo, disponibilizado na internet.

Ela ganhou uma das apostilas impressas pelos universitários.

Antes, contava com a ajuda de uma colega, elas compartilhavam informações e dúvidas usando uma rede social. “Estava fazendo as atividades com o celular, mas a internet não colabora.

Como fico na roça, uso o 4G.

Quando acaba eu aviso minha mãe e ela dá um jeito, que só ela sabe como, e coloca mais internet para mim”, diz Myllena, que é a a segunda da família a se preparar para cursar faculdade.

Flavio Costa dos Santos está no sexto ano, e também recebeu a apostila, o que antes era impossível de entender, agora se tornou mais fácil.

“Tava desistindo de ir pra escola, já querendo sair.

Mas agora tudo ficou melhor”, diz o estudante.

"O objetivo é tentar amenizar os efeitos negativos que a pandemia vem causando em relação à educação e fazer com que esses alunos tenham acesso ao mínimo, porque as apostilas seriam o mínimo no caso", finaliza Leonardo.

Leonardo de shorts vermelho com a tia, a mãe e os primos no assentamento onde moraram Leonardo Costa / Arquivo Pessoal O que diz o estado Sobre a dificuldade de acesso ao material didático do Programa de Estudos Tutorado, a Secretaria de Estado de Educação informou que as escolas estaduais fizeram mapeamento de controle de contato dos alunos matriculados.

Os que não têm acesso à internet ou email para baixar os arquivos, estão recebendo as apostilas de forma impressa.

A superintende regional de ensino de Unaí informou que as escolas fazem contato por telefone, email e até parcerias com o Conselho Tutelar para a entrega dos planos de estudo impressos. Alunos da Unimontes imprimem apostilas para alunos de escolas públicas sem internet Veja mais notícias da região em G1 Grande Minas.

Categoria:MG - Grande Minas